No diálogo, ela pergunta se tem culpa de ser assediada por conta da roupa que está usando. ‘Dependendo de cada roupa, tem’, diz o profissional. Secretaria de Educação confirma ter recebido denúncia e diz que levará caso ao Conselho Tutelar. Jovem mostra roupa que estava usando ao denunciar assédio na escola
Reprodução
Um servidor de uma escola pública do Tocantins foi afastado do contato com os estudantes após uma conversa sobre assédio viralizar nas redes sociais. No vídeo, que já soma cerca de 7 milhões de visualizações no Tik Tok, o orientador, em conversa com uma aluna, diz que “dependendo de cada roupa” a mulher tem culta de ser assediada. A identidade do profissional não foi divulgada.
O g1 apurou que o vídeo foi gravado pela estudante, de 15 anos, durante uma conversa com o orientador educacional da Escola Estadual Beira Rio, no distrito de Luzimangues, em Porto Nacional. O material foi editado e publicado nas redes sociais.
O caso teria acontecido na última quarta-feira (13). No dia seguinte, a adolescente procurou a delegacia de Polícia Civil para registrar boletim de ocorrência. No documento, consta que o caso se trata de comunicação de violação dos direitos da criança e do adolescente.
A Secretaria Estadual da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) confirmou que o orientador foi afastado das atividades que tenham contato com alunos. A unidade de ensino levará a situação ao conhecimento do Conselho Tutelar, pois se trata de uma aluna menor e acompanhará as decisões que dele forem tomadas, informou. (Veja a nota completa abaixo)
Nas imagens, a menina aparecendo chorando e pergunta: “Eu tenho culta de ser assediada por causa da minha roupa”? O orientador diz: “Dependendo de cada roupa tem”.
A adolescente mostra que estava usando um tênis, uma calça jeans e uma blusa regata de cor preta.
O diálogo segue:
Estudante: É isso? A culpa do assédio é minha pela roupa que eu estou usando?
Orientador: Em certas partes é, você entendeu? Estou chamando você para conversar, você não está gostando, imagina se eu olhar para você com segundas intenções?
Estudante: Meu Deus, eu tenho 15 anos. Olha a minha idade e olha o que tu está falando, cara.
O vídeo mostra outro diálogo, desta vez com o diretor da unidade. Ela pergunta se ele concordava que o assédio era culpa da vítima. Ele respondeu: “não concordo”.
Mais de 25 mil pessoas, entre anônimos e famosos, comentaram na publicação lamentando o fato.
Veja a nota da Secretaria Estadual da Educação
A Secretaria Estadual da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) informa que está acompanhando atentamente a denúncia feita pela estudante e que a Diretoria Regional de Educação, Juventude e Esportes (DRE) de Palmas, à qual a unidade de ensino é jurisdicionada, já afastou o servidor das atividades que tenham contato com alunos. Por orientação do Núcleo de Assuntos Disciplinares da Seduc, a unidade de ensino levará a situação ao conhecimento do Conselho Tutelar, pois se trata de uma aluna menor e acompanhará as decisões que dele forem tomadas.
Além disso, a Regional encaminhará, formalmente, a demanda para o Núcleo de Assuntos Disciplinares para que seja aberta uma Sindicância Administrativa Investigativa para a verificação aprofundada dos fatos.
A Seduc se posiciona veementemente contrária a toda e qualquer situação de assédio e ressalta que os procedimentos necessários serão adotados para que a estudante seja amparada e os envolvidos, responsabilizados. Por fim, esta gestão assegura que não tolera qualquer ato que vá de encontro ao direito das mulheres de serem respeitadas.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins


Compartilhar:

Deixe seus Comentario